Incêndios: AHRESP apela a empresas que tenham papel de divulgadores de mensagens de prevenção e segurança

A AHRESP transmite toda a sua solidariedade para com a população atingida pelos incêndios rurais. Apesar dos negócios turísticos atingidos, direta ou indiretamente, ainda serem muito pontuais e circunscritos, existe o risco, por agora mínimo, de prejudicar a imagem do país como destino seguro.

Assim, a AHRESP apela à população que não tenha comportamentos de risco e às empresas turísticas que tenham um papel de divulgadores das mensagens de prevenção e de segurança. Este é um período de condições meteorológicas extremas, com calor e tempo muito seco e o risco de incêndio está no seu mais alto nível. Todos os cuidados são importantes.

PUB

Aqui ficam algumas recomendações (via Portugal Chama) que os estabelecimentos podem transmitir aos seus clientes:

SE ESTIVER PRÓXIMO DE UM INCÊNDIO

  • Ligue de imediato para o 112
  • Se não correr perigo e possuir vestuário adequado, tente extinguir pequenos focos com pás, enxadas ou ramos
  • Evite a exposição ao fumo, tape a boca e o nariz com um pano húmido
  • Proteja o corpo das chamas e do calor com vestuário seco e comprido
  • Não prejudique a ação dos Bombeiros, Sapadores Florestais e outras forças de socorro e siga as suas instruções
  • Retire a sua viatura dos caminhos de acesso ao incêndio
  • Se notar a presença de pessoas com comportamentos de risco informe as autoridades
  • Evite circular em zonas próximas de incêndios

Turismo de Portugal e AGIF têm também disponíveis folhetos de sensibilização das empresas turísticas e turistas para a prevenção de incêndios rurais e para a segurança de pessoas e bens. Aqui estão documentos direcionados a trakkers (caminheiros) e a parques de campismo:

Portugal em situação de alerta

A situação de alerta devido aos incêndios florestais terminou às 23h59 de 21 de julho de 2022, anunciou o Ministro da Administração Interna, José Luis Carneiro. O responsável apelou ao sentido de responsabilidade coletiva para que não haja comportamentos de risco e reforçou o apelo ao cuidado no uso de máquinas agrícolas e florestais e lembrou a proibição do uso de fogo nos municípios com risco de incêndio muito elevado e máximo. As restrições passam a ter caráter regional de acordo com a classificação Perigo de Incêndio Rural.

De acordo com o Governo, mantém-se todo o Dispositivo em prontidão e serão feitos pré-posicionamentos para apoio às regiões de maior perigo, acrescentou o Ministro.

A decisão foi tomada tendo em conta a baixa média da temperatura entre cinco e dez graus e o aumento da humidade entre 10% e 20%, numa reunião com os Ministros da Defesa Nacional, da Saúde, do Ambiente e da Ação Climática, e da Agricultura e da Alimentação, em que estiveram também presentes os presidentes da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, da Agência para a Gestão Integrada de Fogos Rurais e do Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

Advanced Heading
SUBSCREVA JÁ

NEWSLETTER

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Aceito Ler mais