Opinião pela nutricionista Margarida Miranda: Natal e Dieta, como conciliar?

Para alguns, a Bruxinha transforma-se em Pai Natal e, logo a 1 de novembro, começa a época Natalícia, outros esperam pelo início do advento e ainda há quem só sinta o espírito Natalício a meados de dezembro!

Para mim, o Natal é um mix de sentimentos…em pequena, pertencia ao grupo que entra no espírito Natalício a 1 de novembro! Neste sentido, sinto-me na “obrigação” de aprender todas as tradições com os meus avós, descobrir todos os segredos que as receitas têm para contar e ignorar cada grama de açúcar! Como Nutricionista, sinto a necessidade de recriar essas receitas, e torná-las mais saudáveis! E, muitas vezes, pergunto a mim mesma: “Será que há a necessidade de tornar o Natal Light?”

Nesta época são comuns os excessos alimentares e as horas infinitas à mesa, aliados às iguarias tradicionalmente calóricas…o problema é que este cenário se replica várias vezes: em jantares de trabalho ou com os vários grupos de amigos, jantar da Consoada, almoço e jantar do dia de Natal e a semana complicada que se segue, com todas as sobras!

Reduzir a quantidade de açúcar das rabanadas seria uma opção. Porém, o problema não reside apenas no açúcar das sobremesas! O exímio problema está no autêntico buffet que acompanha a sequência de jantares de Natal! Quem fala em jatares, fala no típico lanche com as filhoses que, entretanto, a tia já começou a testar e com a fatia de bolo-rei que já começou em processo de avaliação!

Em boa verdade, os eventuais abusos cometidos na véspera e no dia de Natal podem assemelhar-se a uma jantarada em família e, por isso, “o que engorda não é o que se come do Natal até à Passagem de Ano, mas sim o que se come da Passagem de Ano até ao Natal”!

Para aqueles que assentam sob a premissa “são só dois dias de desgraça” é quase certo que estão no bom caminho, mas pensar que “não vou começar uma dieta porque vem aí o Natal” ou “não vale a pena ir ao nutricionista este mês porque não vou conseguir seguir o plano” certamente serão aqueles que também seguem a máxima “o Natal é quando o Homem quiser” no que respeita aos abusos, está claro!

O Natal não tem nem deve ser light e não devemos ser fundamentalistas. Contudo, deve haver a noção que o ser humano não é uma debulhadora de comida! Se for seguido um estilo de vida saudável e se existir o devido equilíbrio e posterior compensação, os eventuais danos podem ser contornados.

Eis as minhas dicas para que o seu Natal seja mais saudável:
• Não coma sobremesas que não são de Natal.
• Seja regrado nas refeições que antecedem a ceia de Natal. Porém, não passe demasiado tempo sem comer, de modo a não chegar à mesa com demasiada fome.
• Beba água ou infusões sem adição de açúcares entre as refeições.
• Privilegie o azeite como gordura de adição, mas com moderação: não se esqueça de que, cada grama de gordura, tem 9kcal. Nos assados pode evitar a adição de gordura através de uma marinada com algumas horas de antecedência.

• Utilize leite, iogurtes ou queijo quark ao invés das natas.
• Sendo o bacalhau o rei da Consoada, tenha atenção ao seu teor de sal. A demolha deverá ser feita 24 a 48 horas antes da confeção (depende da grossura do bacalhau), para que o seu teor de sódio seja o mais reduzido possível. Porém lembre-se que o sal não é totalmente eliminado na demolha.
• Tente colocar no mesmo pratinho de sobremesa, todas as iguarias Natalícias que deseja provar. Assim, prova de tudo, mas com contenção!
• Se não consegue resistir aos doces, evite comer alimentos ricos em hidratos de carbono (pão, bolachas, massa, arroz, batata) nas refeições que antecedem a ceia de Natal. Compense com hortaliças e fruta.
• Modere a ingestão de álcool. Existem 7kcal por cada grama de álcool e 4kcal por cada grama de proteínas ou de hidratos de carbono. Por exemplo, uma taça ou flûte de Espumante extra bruto (150ml) tem cerca de 104kcal, 2 batatas pequenas cozidas (120g) ou 100 g de bacalhau cozido apresentam exatamente as mesmas calorias.
• Dia 26 será o dia de retomar um estilo de vida saudável, que pressupõe uma alimentação equilibrada conjugada com a prática de exercício físico.

• No caso de receber vários cabazes de Natal e/ou presentes comestíveis da empresa, de amigos ou de clientes, partilhe com os mais necessitados, até porque o Natal também é tempo de partilha!

Feliz Natal a todos os leitores!

Dra. Margarida Miranda
Nutricionista (4853N)
Sanclinic – Sangalhos

Advanced Heading
SUBSCREVA JÁ

NEWSLETTER

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Aceito Ler mais