Empreitada de reabilitação do Chalet Suíco na Pampilhosa foi consignada

A Câmara da Mealhada assinou a consignação da empreitada “Reabilitação do Chalet Suíço”, na Pampilhosa, no valor de 1.798.242,90€ (+ IVA), tendo como prazo de execução um ano.

A obra de reabilitação do Chalet Suíço (Chalet Suisso na grafia da época) vai recuperar totalmente o emblemático edifício que marca a paisagem da Pampilhosa, nomeadamente a zona da Estação de Caminhos de Ferro.

A intervenção inclui trabalhos de restauro, de estuques, pinturas e outros revestimentos, de carpintaria, de canalizações e condutas, de ajardinamentos, de instalações elétricas, de infraestruturas de telecomunicações, de sistemas de extinção de incêndios, de segurança e de deteção, de instalações de elevação, de aquecimento, ventilação, ar condicionado e refrigeração, e de impermeabilizações e isolamentos.

PUB

O ‘Chalet Suisso’  foi edificado em 1886 com o objetivo de acolher e permitir descanso aos viajantes de maior estatuto social. O imóvel foi mandado construir por Paul Bergamin, um cidadão suíço, e era usado como hospedaria e residência familiar. A arquitetura do imóvel denuncia influências do estilo dominante na Suíça do século XIX, nomeadamente no telhado, na utilização de lambrequins de madeira e na magnífica sala de estar. Outro elemento distintivo do edifício prende-se com a utilização de barro vermelho da região nas fachadas, guardas e guarnições. O edifício desenvolve-se em quatro pisos. A hospedaria, com cozinha, sala de jantar e quartos, localizava-se no piso imediatamente por cima do rés-do chão/ cave.

Entre esses quartos, encontrava-se o “quarto real”, que a família real ocupava durante as suas viagens pela Beira e paragem para transbordo ou vinda para o Bussaco. Esse quarto terá sido usado pela primeira vez na noite de 18 para 19 de maio de 1886, quando D. Carlos veio à Pampilhosa receber a sua noiva, a princesa D. Amélia.

O edifício foi adquirido pelo Município da Mealhada em 2017 com o objetivo de ser colocado ao serviço da Cultura.

 

Recuperação de Caminhos Florestais

A Câmara da Mealhada consignou, também esta semana, a empreitada de recuperação de caminhos florestais afetados pelo grande incêndio florestal, em 2016, no valor de 94.890,00 € (+ IVA). A intervenção será feita ao nível viário e linhas de água e tem 90 dias de prazo.

Advanced Heading
SUBSCREVA JÁ

NEWSLETTER

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Aceito Ler mais