Opinião por Carlos Vinhal Silva: Vamos antes pelas escadas?

Aquando da frequência do meu segundo mestrado, quando confrontado com a necessidade de escolher um tema para a dissertação final, após um longo período de reflexão e pensamento, escolhi uma temática que sempre me ajudou a compreender e a explicar o mundo: as metáforas. Algures nesse trabalho de média/longa extensão, registei, mais ou menos nestes termos, a seguinte ideia: “as metáforas desempenham um papel crucial na formação da nossa perspetiva em relação ao mundo”. Ora, no presente artigo tentaremos cumprir o propósito de analisar, ainda que de um modo algo superficial, uma única metáfora que orienta a visão de um grande número de indivíduos: a metáfora do elevador social.

Procuremos explicar esta metáfora: simboliza a ideia de uma mobilidade ascendente em direção ao sucesso; implica a conceção de que o sucesso é uma jornada rápida e linear. A realidade, porém, não é assim. A realidade é que o sucesso e o progresso social, salvo exceções, não constituem um caminho instantâneo e livre de obstáculos. Por isso, será, talvez, conveniente repensar esta ideia e colocá-la nos termos de outra metáfora mais ajustada ao mundo real: a escada social. Pensemos juntos: as escadas representam um progresso gradual onde cada degrau é alcançado por intermédio de trabalho árduo e determinação. Neste sentido, a metáfora das escadas sociais não despreza nem ignora o esforço e o empenho dos indivíduos. Pelo contrário, enaltece a importância de cada degrau, onde cada conquista, grande ou pequena, contribuiu para a ascensão.

PUBPortanto, substituindo a metáfora do elevador pela metáfora da escada social, reconhecemos e celebramos o esforço e a resiliência demonstrados pelo indivíduo no seu percurso para o sucesso. Ninguém é abandonado à sua sorte ou ao seu acaso, porque todas as conquistas passam a ser determinadas pelo trabalho que cada um coloca no seu caminho. E é importante que façamos esta substituição: porque as metáforas não são apenas palavras. As metáforas moldam e influenciam o pensamento, interferindo na forma como percebemos e interagimos com o mundo à nossa volta. Assim, adotando a metáfora da escada social, e erradicando a ideia ridícula do elevador social, convidamos a comunidade a participar na construção de uma sociedade onde cada passo é valorizado. Porque o respeito que a sociedade nos deve não nasce do dia para a noite nem surge carregando num botão: deve ser merecido e conquistado em consequência do trabalho e do esforço e dos valores demonstrados ao longo de todo o caminho.

 

por Carlos Vinhal Silva

SUBSCREVA JÁ

NEWSLETTER

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Aceito Ler mais